Apresentação

11 a 15 de  setembro de 2017

Sala Machado de Assis – CCE/Bloco B

UFSC

     Professores e convidados     Comissões    Programação      Inscrições

 Lançamentos

 

Essa proposta de organização de evento internacional nasce no seio das pesquisas realizadas no Núcleo de Estudos Contemporâneos de Literatura Italiana (NECLIT), coordenado pelo Prof. Dr. Andrea Santurbano, da Universidade Federal de Santa Catarina, devidamente cadastrado no diretório de pesquisa do CNPq. O NECLIT está diretamente ligado ao Programa de Pós-Graduação em Literatura e ao Departamento de Línguas Estrangeiras. Em relação à pós-graduação, os professores e alunos envolvidos estão vinculados, principalmente, às linhas de pesquisa: Teoria da Modernidade e Poesia e Aisthesis, nas quais desenvolvem estudos relacionados à literatura italiana, numa perspectiva comparada, tanto em relação com outras literaturas quanto no que diz respeito ao inevitável e profícuo diálogo com outros âmbitos do conhecimento.

 

Quais são os movimentos da literatura italiana contemporânea? Quais as tramas, hoje, dessa escritura? Como alguns poetas e escritores pensam a literatura, se relacionam com a palavra e com a própria língua? Essas são algumas das linhas que pretendem orientar as discussões propostas para o evento internacional Contemporaneidades na/da literatura italiana, que pretende ser mais um espaço de encontro e debate focando a literatura italiana da segunda metade do século XX até os dias de hoje, criando uma oportunidade especial para debates, indagações e trocas intelectuais que estimulam e aprimoram as pesquisa em desenvolvimento. Será também importante, para enriquecer as discussões e reforçar o lugar e espaço da fala, quando possível, estabelecer relações com a cultura e a literatura brasileira. Tais incursões, sem dúvida, poderão estimular ainda mais o diálogo e propor novas perspectivas de leitura da própria produção.

Há, certamente, lacunas e muitos espaços vazios quando se pensa na literatura italiana no Brasil10. Em primeiro lugar, pelo fato de os clássicos italianos terem um peso e uma presença determinantes, exigem muito de quem os acolhe, deixando, consequentemente, pouco tempo e espaço para outras investidas. Por outro lado, todos sabemos que falar em literatura italiana significa pensar num pequeno nicho do mercado editorial, ainda mais se o argumento é literatura contemporânea e estrangeira. Associa-se geralmente ao gênio itálico a prerrogativa de se relacionar com o universo da escrita a partir de uma perspectiva social, histórica, fatual; enfim, recorrendo a procedimentos eminentemente miméticos. Se pensarmos na recepção no Brasil, por exemplo, uma vertente alternativa se reduz a Calvino, um pouco de Buzzati e nada, ou quase, dos vários Landolfi, Savinio, Bufalino, Manganelli, Wilcock etc. Portanto, há ainda muito a ser feito no que concerne as relações entre Brasil e Itália.

A realização desse evento internacional quer, portanto, ao mesmo tempo, estreitar os laços e a rede internacional de pesquisadores que trabalham com a literatura italiana moderna-contemporânea, configurando-se como uma porta entreaberta de acesso, que procura, ao mesmo tempo, se inscrever no panorama que já vem sendo delineado desde 2014, na Universidade Federal de Santa Catarina, quando foi realizado o primeiro evento integralmente dedicado à poesia italiana, cuja realização só foi possível com apoio dado pelos órgãos de fomento (CAPES, CNPq, FAPESC). O Programa de Literatura, neste mesmo ano de 2014, também contou com a presença de Enrico Testa como professor visitante CNPq, o qual ofereceu um curso intensivo dedicado a Giorgio Caproni e Vittorio Sereni. Outro evento rico e importante foi o seminário internacional Resíduos do humano: experiência e linguagem na literatura italiana das últimas décadas, ocorrido em junho de 2016, com apoio de CAPES, CNPq e FAPESC, que contou com duas mesas-redondas temáticas e três minicursos de 6 horas cada, ministrados por três destacados professores italianos de diferentes instituições (Università degli Studi di Genova, Università di Roma “Tor Vergata” e Università “G. d’Annunzio” di Chieti-Pescara).

Diante de todas as questões colocadas, o seminário internacional Contemporaneidades na/da poesia italiana propõe colocar em foco a literatura italiana estudada no Brasil, num diálogo com outros especialistas da área,e dando continuidade a toda uma serie de atividades que docentes e pesquisadores de italianística da UFSC vem desenvolvendo nos últimos anos.

 

 

Objetivo geral

O objetivo geral é, portanto, promover e estimular o debate e a reflexão tendo como ponto de partida a temática escolhida para o seminário, Contemporaneidades na/da literatura italiana, e seus desdobramentos. Constitui-se assim mais um importante espaço de trocas sobre a perspectiva teórica e sobre a literatura e cultura italiana. A possibilidade de reunir os estudiosos permitirá uma série de trocas intelectuais. A ideia de oferecer dois minicursos concentrados tem como objetivo reunir um maior número de pesquisadores e alunos de pós-graduação e graduação nos pontos selecionados para a discussão. É com esses pressupostos que se espera estimular e fomentar um profícuo diálogo com professores pesquisadores de diferentes instituições e fortalecer a área de literatura italiana no Brasil.

 

 

Objetivos específicos

Discutir os seguintes temas nas mesas e nos minicursos propostos com os professores convidados para o evento internacional:

–  crise da linguagem a partir da segunda metade do século XX;

–  deslocamentos do eu;

–  rastros e ruínas da história;

–  o quotidiano e o comum;

–  tentativas de dizer o indizível;

–  novas formas do dizível;

–  perda de uma experiência contável;