Arquivos reais e imaginários entre Italia e América Latina

As pesquisas realizadas no âmbito do NECLIT são balizadas por uma ideia de contemporâneo que não diz respeito a uma categoria cronológica ou a um enquadramento sinótico da literatura, mas sim a uma abordagem crítico-teórica que enxerga a obra como uma montagem dialética de tempos, como um fluxo em constante deslocamento de pensamentos e linguagens, independente do período de produção do objeto contemplado. Privilegia-se, assim, um método de análise que visa questionar uma visão historicista, taxonômica e assertiva dos textos, potencializando, entretanto, seus momentos de descontinuidade, embates, fratura. Dessa forma, o espaço literário é visto em abertura e diálogo com estatutos de temporalidades diferentes e, simultaneamente, na contraluz de sua época. Os referenciais teóricos que norteiam as investigações e a interação entre os demais pesquisadores vão de Nietzsche a Benjamin, de Blanchot a Foucault, de Agamben a Didi-Huberman, entre outros. É nessa ótica que são trabalhados, frequentemente numa perspectiva comparada, algumas obras, autores e movimentos da literatura italiana.