Pesquisa

Textualidades contemporânea

2016 – Atual        O paradoxo da escrita na narrativa de Giorgio Manganelli

                                 Coordenador: Prof. Andrea Santurbano

 

O objetivo do projeto é estudar e refletir sobre a escrita narrativa do escritor italiano Giorgio Manganelli (1922-1990), focando, em particular, a questão da autonomia da linguagem e o espaço literário como lugar privilegiado de sua libertação, segundo perspectivas que se fazem presentes a partir da segunda metade do século XX. Com efeito, ao passo que a linguagem comum, para a subsistência de uma legítima necessidade de comunicação, se abriga em sua função convencional de signo, a linguagem literária tem a possibilidade de significar esse ?vazio?, buscando um sentido fora da categorização das palavras. Nesse sentido, buscar-se-á problematizar o paradoxo da escrita de um autor que reiteradamente defendeu a tese de que a literatura não pode significar nada, mas que, no entanto, aborda de forma contundente temas como morte e pós-humanismo, dialogando de perto com o pensamento pós-estruturalista, de Blanchot e Foucault em diante. Foco da análise serão em particular, três obras do autor, Hilarotragoedia (1964), Dall?inferno (1985) e La palude definitiva (1991), sem, contudo, esquecer as demais produções críticas e literárias de Manganelli. Para tanto, far-se-á necessário perpassar por alguns conceitos, dentre os quais o de contemporâneo e de anacronismo, recuperado e desenvolvido nos últimos anos por Giorgio Agamben, Georges Didi-Hubermann e Antoine Compagnon, por problematizar operações metalinguísticas e metadiscursivas de autores que se põem numa posição de embate com seu tempo, rediscutem os laços de uma tradição literária, processam não raramente os movimentos da história, se situam às margens da indústria cultural e problematizam, enfim, a própria ontologia da escrita. Ainda, esses movimentos de dissociação e, por assim dizer, de intempestividade e inatualidade remetem ao pensamento nietzscheano. Em segundo lugar, as obras em objeto serão relidas e discutidas a partir dos textos de Maurice Blanchot sobre a heteronímia do espaço literário e sua contiguidade com a morte. Em particular, os lugares infernais retratados nas narrativas de Manganelli, colocados na perspectiva de uma ambígua transcendência, serão considerados menos como representações temáticas da morte do que como recurso privilegiado da literatura para ?escatologizar? a morte. A relação entre objeto e palavra, objeto e mundo físico, linguagem e escrita, fulcro deste projeto de pesquisa, será, ainda, pautada na releitura do Foucault de As palavras e as coisas, assim como nos estudos de Franco Rella e Alain Badiou sobre a construção de um espaço estético onde a literatura dialogue de mãos dadas com outras disciplinas do saber para ler o ser e seu estar-no-mundo. Paralelamente, será necessário fazer uma breve incursão pelas bases do ?pensamento negativo? e do debate sobre a metafísica, segundo os critérios já indicados por Friedrich Nietzsche, em particular em A gaia ciência e Ecce homo. Dentro desse quadro teórico de referência, será finalmente possível concentrar a problemática do ?repensamento? da linguagem literária, a partir das primeiras contribuições teóricas pós-estruturalistas de Blanchot, Foucault e do próprio Barthes..

 

Literatura Italiana Traduzida no Brasil

2014 – Atual       Arquivos Literários I: Literatura Italiana Traduzida
Coordenador: Andrea Santurbano Patricia Peterle

Refletir sobre as discussões mais recentes acerca do arquivo, partindo de Foucault, a problemática que se coloca para a pesquisa é como pensar os arquivos literários, suas potencialidades e suas assinaturas. Esse projeto é também uma continuidade de pesquisas recentes que mapearam e fizeram uma releitura de obras da literatura italiana traduzidas no Brasil. Arquivos como comunidades. Traduções literárias e reescrituras como arquivos. Tradução como pervivência e sobrevivência do texto. Um subprojeto que está ligado a esse projeto é “Repercussão da literatura italiana traduzida nas páginas brasileiras (1900-1950)”.

 

Dicionário Bibliográfico da Literatura Traduzida até 1950

(Financiamento Edital Ciências Humanas CNPq processo n° 400500/2010-8, 2010-2013)

Dicionário Bibliográfico da Literatura Traduzida pós 1950  

(FAPESP Projeto Integrado 2013/20971-0)

Dicionário Bibliográfico da Literatura Traduzida 

Poesia